Testemunho – Miguel

Comecei a praticar Chan em 2014, depois de quase uma década a praticar Nei Gong (Artes Internas) e de 3 anos a estudar Medicina Tradicional Chinesa. O meu interesse pelo Budismo e pela meditação começou a crescer e, em 2013, decidi procurar pelo melhor sítio que conseguisse para aprender a meditar. Já tinha viajado para outros continentes para aprofundar as minhas práticas; a distância não seria um problema desde que, a meu entender, a prática fosse o mais autêntica possível.

Depois de encontrar os textos do Grande Mestre Hsuan Hua, decidi que ele seria um grande Mestre com que eu poderia aprender. Infelizmente, o Mestre já havia falecido há algum tempo, pelo que quis tentar a minha sorte com um dos seus discípulos. Encontrei o site do Mestre YongHua, e assim que vi que iria haver um retiro de Inverno, aberto a iniciantes, procedi à inscrição.

Sempre pensei que iria encontrar os ensinamentos autênticos num sítio recôndito como nas montanhas da China ou nas selvas da Tailândia. No, entanto o templo do Mestre YongHua fica em Los Angeles, na Califórnia — um sítio mais conhecido pelo surf e por Hollywood do que pelos praticantes de meditação.

A explicação para isto é que o Grande Mestre Hsuan Hua trouxe o Budismo Ortodoxo da China para os Estados Unidos, por volta da década de 1950, onde cresceu de uma forma muito sólida e consistente — fundou vários templos, um dos maiores na Califórnia. Na verdade, a Califórnia tem uma concentração enorme de pessoas de ascendência asiática, pelo que as comunidades locais também fizeram questão de trazer as suas práticas espirituais para os EUA. Este Grande Mestre teve imensos discípulos de nível muito elevado, e os seus comentários dos textos Budistas são uma leitura muito interessante.

Mestre YongHa
Mestre YongHa

À data, já fui a quatro Chan Qi (retiros de ChanQi neste caso significa 7), e tenciono ir a mais.

Não posso dizer que perceba muito de meditação, mas a prática de Chan consegue proporcionar-me uma força e uma tranquilidade que não consigo encontrar nas outras práticas, e as explicações que o Mestre YongHua oferece nas palestras dão uma perspetiva muito interessante do potencial do ser humano.

Pessoalmente, estes são os principais motivos pelos quais resolvi investir na vinda do Mestre a Portugal. Apesar de ser muito mais cómodo ir a Los Angeles participar no Chan Qi (durante o retiro, o templo fornece alojamento e comida, funcionando na base do donativo) do que ficar em Lisboa a organizar um retiro (quem está nos bastidores dos eventos sabe o esforço que é), é muito mais recompensador poder ajudar a propagar os benefícios para uma audiência maior. De outra forma, seria pouco provável que a maioria das pessoas viesse sequer a ter conhecimento destas práticas.