O que é a Meditação Chan?

Meditação Chan é uma prática central do Budismo Mahayana. Chan é uma palavra originária da palavra Sânscrito, Dhyana, que significa “concentração”, “contemplação quietude” ou “cultivação do pensamento”.

Seguimos a tradição Chinesa da linhagem Wei Yang, a mais antiga das cinco escolas de Chan, que foi transmitida pelo Grande Mestre de Dharma Hsuan Hua (宣化 上人).

O Chan espalhou-se para Sul pelo Vietname, como Thien, e para Este pela Coreia. No século XIII chega ao Japão onde se torna conhecido por Zen.

O Chan é conhecido por:

  1. Não depender da palavra falada. 교외별전(敎外別傳)
  2. Apontar diretamente para a mente. 직지인심 (直旨人心)
  3. Ser transmitido para além dos ensinamentos. 불립문자(不立文字)
  4. Ajudar-nos a ver a nossa Verdadeira Natureza e a atingir a iluminação. 견성성불(見性成佛)

Os Primeiros Seis Patriarcas

Tradicionalmente a origem do Chan na China é atribuída ao monge Indiano Bodhidharma. Embora a informação histórica sobre este monge seja escassa, a sua hagiografia desenvolveu-se no início do século VIII, altura em que a tradição da Meditação Chan cresceu fortemente e ganhou relevância. Nesta altura a linhagem dos seis fundadores ancestrais do Chan na China havia sido estabelecida.

No final do século VIII, sob a influência do aluno de Huineng, Shenhui, a forma tradicional desta linhagem foi estabelecida.

  1. Bodhidharma (達摩) ca. 440 – ca. 528
  2. Dazu Huike (慧可) 487–593
  3. Sengcan (僧燦) ?–606
  4. Dayi Daoxin (道信) 580–651
  5. Daman Hongren (弘忍) 601–674
  6. Huineng (慧能) 638–713

As Cinco Casas do Chan

Durante a Dinastia Song as Cinco Casas (Ch. 五家) do Chan, ou cinco “escolas”, foram reconhecidas. Ainda que não tenham sido originalmente concebidas como “escolas”, tendo por base as várias genealogias do Chan, passaram a ser entendidas como “escolas”:

  1. Escola Wei-Yang (潙仰宗), nomeada após os mestres Guishan Lingyou (771–854) e Yangshan Huiji (813–890), descendentes do Dharma de Mazu Daoyi;
  1. Escola Linji (臨濟宗), nomeada após o mestre Linji Yixuan (…-866), cuja linhagem se cruzou com Mazu, estabelecendo-o como o arquétipo iconoclástico Mestre-do-Chan;
  1. Escola Caodong school (曹洞宗), nomeada após os mestres Dongshan Liangjie (807–869) e Caoshan Benji (840–901);
  1. Escola Yunmen (雲門宗), nomeada após o mestre Yunmen Wenyan (…-949), um discípulo de Xuefeng Yicun (822-908), cuja linhagem foi traçada até Shitou Xiqian:
  1. Escola Fayan (法眼宗), nomeada após o mestre Fayan Wenyi (885–958), um discípulo de segunda geração de Xuefeng Yicun.

O Mestre Hsu Yun (虛雲 禪師) e o Mestre Hsuan Hua

Depois de vários séculos de declínio durante a Dinastia Qing, o Chan foi recuperado no início do século XX por Hsu Yun (虛雲), uma figura bem conhecida do Budismo Chinês do século XX.

Hoje em dia, muitos instrutores do Chan traçam a sua linhagem para Hsu Yun e para o último Patriarca do Chan conhecido, Mestre Hsuan Hua (宣化), que propagou o Chan no Ocidente onde cresceu firmemente entre os séculos XX e XXI.

Linhagens Ocidentais do Chan

O primeiro mestre Chinês a ensinar os Ocidentais na América do Norte foi o Mestre Hsuan Hua que ensinou o Chan e outras tradições do Budismo Chinês em São Francisco durante o início da década de 60.

O Mestre Hsuan Hua fundou a Cidade dos Dez Mil Budas (City of Ten Thousand Buddhas), localizada numa propriedade de 237 acres, próxima de Ukiah na Califórnia, fundando a Associação Budista do Reino do Dharma.

Outro Mestre do Chan Chinês com uma orientação para o Ocidente é Sheng-yen, um mestre treinado nas escolas Caodong e Linji que em 1978, apoiado pela Associação Budista dos Estados Unidos, visitou este país, tendo mais tarde fundado o Centro de Meditação Chan CMC, em Queens, Nova York.